The Cloverfield Paradox

The Cloverfield Paradox
 The Cloverfield Paradox
(Regular)

Terror

  • País / Ano de Produção: EUA / 2018
  • Duração: indisponível

The Cloverfield Paradox | Crítica

Terceiro filme da franquia é apenas uma grande desculpa

Cloverfield fez do mistério e da inventividade o lema da sua franquia. O primeiro filme, lançado em 2008, circulava com outro título, 01-18-08, até chegar aos cinemas, quando caiu no gosto do público e da crítica ao usar o gênero do found footage para para mostrar o lado civil de uma invasão de monstros. O segundo, Rua Cloverfield, 10, de 2016, nasceu como The Cellar e foi incorporado à marca em um filme completamente diferente do longa original, contrastando monstros humanos e espaciais.

No seu terceiro capítulo, uma nova surpresa. O primeiro trailer do filme ainda sem título, exibido no Super Bowl, o evento máximo da TV nos EUA, era um anúncio de estreia: após o jogo, O Paradoxo Cloverfield estaria disponível na Netflix. A reação imediata de empolgação, porém, logo se transformou em desgosto. Depois de dois bons filmes que usavam gêneros preestabelecidos para criar algo novo, Cloverfield apresentava um pastiche de ideias melhores povoado por personagens rasos.

Solaris, O Enigma do Horizonte e Alien são emulados na história da tripulação multicultural que tenta superar a crise mundial de energia com um superpoderoso acelerador de partículas. Antes que o experimento cause a desestabilização do espaço-tempo, com a estação espacial sendo teletransportada para outra dimensão e a Terra sendo invadida por monstros, um cientista aparentemente picareta fala na TV sobre os perigos do paradoxo que dá título ao filme. Apesar do aviso conveniente, quando coisas inexplicáveis passam a ameaçar a tripulação, as mentes mais brilhantes do planeta demoram a concluir que o tal paradoxo não era charlatanismo.

Os eventos bizarros - uma mulher encontrada entre a fiação da nave, um braço com vida própria, entre outros - são respiros interessantes e tecnicamente bem realizados em 1h42 de filme, mas a falta de consistência do roteiro de Oren Uziel torna tudo gratuito. Não há uma ameaça verdadeira quado os personagens não são suficientemente interessantes para que o espectador tema por suas vidas. Há a uma tentativa dramática em torno de Hamilton (Gugu Mbatha-Raw) - a oportunidade de reencontrar sua família perdida em outra dimensão -, mas não existe reflexão, apenas um questionamento superficial armado para criar um ponto de virada na trama.

O Paradoxo Cloverfield é um capítulo insatisfatório dentro de uma franquia inovadora, cuja inferioridade em relação aos filmes anteriores transforma a revolução anunciada por seu lançamento democrático em uma grande desculpa. Bom para Paramount, que se livrou dos custos de lançamento de um provável fracasso nas bilheterias, bom para Netflix que tomou grande parte das conversas em uma noite que também promoveu filmes como Han Solo - Uma História Star Wars e Vingadores: Guerra Infinita, péssimo para o público. 

the-cloverfield-paradox >>> <b> 0MOVIE123.BLOGSPOT.COM <b>

Quando o marketing de um filme consegue ser tecnicamente superior ao produto que anuncia, temos aí um problema. A verdade é que o trailer é melhor que o filme. O filme é infinitamente inferior ao primeiro cloverfield; o roteiro é simplesmente patético; atuações pífias. Usaram o nome de um bom filme pra fazer essa continuação de jardim de infância. O omelete ainda foi legal em dar 2 ovos. A Netflix está se tornando marketing puro; ultimamente anunciam em seus trailers obras primas, porém o resultado é ridículo; só nesse mês temos: altered carbon e essa constrangedora porcaria do cloverfield.

Claro que não dá para dizer, que este filme é um primor técnico (é possível perceber muitas falhas de continuidade), porém o filme consegue entreter. Uma crítica bem recorrente na época do segundo filme, foi justamente no momento onde este se conecta com o primeiro filme. Eu particularmente achei essa parte muito boa, pois ampliou toda a gama de possibilidades deixadas no primeiro filme. Paradoxo, extrapola essa ligação e escancara de uma vez , o motivo de toda aquela bagunça. É plausível e aceitável os rumos tomados pela produção. Vimos algo semelhante (guardado as devidas proporções), em Interstellar. Apesar da recepção negativa, em maioria, eu gostaria de ver mais material desta franquia. Espero que que a Bad Robot, não encerre a franquia por aqui.

Eu acho que pode ser outro, pq no final o namorado da mina fala sobre os monstros no plural!

ah cara.. e do que essa turma não reclama? Está super difícil lançarem um filme de ficção legal, quando lançam é essa choradeira...kkk

Gostei bastante! Principalmente do final, que aparece o monstrão já crescido (ou seria outro?). Aliás, que monstro animal este! Um dos rugidos mais assustadores do cinema! Tomara que façam uma continuação com a luta contra o monstro. Chamem o Godzila!!

filme é bom, omelete vai fazer a critica do magic mike vai

Explica os eventos dos filmes anteriores, é clichê, óbvio, tem umas cenas malucas e eu gostei, tô nem aí...

Achei divertido uns momentos, bem clichês noutros tantos e engraçado em certa parte, vendo a tripulação assistir e ouvir informações televisionadas da terra em tempo real numa distância de uns 20 anos luz, no mínimo. Pra um filme de tv foi ok.

não tinha alguém no Omelete disponível pra fazer a crítica ?

"Péssimo para o público". então... aqui tá 50/50, 8 ou 80. Tem gente que pirou no filme, e tem gente que odiou. Mas muita gente assistiu.

Junto com Open House entra no rol dos piores do ano na NetFlix ...

Quero que tu me aponte onde em minha escrita tratei sobre qualquer uma dessas obras ou teorias. Das duas uma: ou tu é muito desonesto intelectualmente, compreendeu tudo o que algumas pessoas e eu escrevemos aqui no post e ainda assim quer dar uma de doido, ou é só mais um analfabeto funcional funcional com acesso a internet, não sabe o mínimo de interpretação textual e prefere (na sua péssima escrita, diga-se de passagem) fazer uso de argumentos ad hominem para desmerecer terceiros que não compactuam com aquilo que consideras ideal. Você não é ignorante por ter lido livros (se é que leu mesmo), é ignorante por não sabe lidar com opiniões contrárias a sua e não saber se expressar de maneira cortês e educada. Agora pela última vez: BUSQUE TRATAMENTO, pra quem leu material científico por 10 anos você é bastante alienado.

Gostei de Paradox. A qualidade da direção e interpretações medianas não descredibilizam o roteiro hábil a fornecer uma explicação plausível para o surgimento dos monstros no Planeta Terra. Ademais nos ambientou no desenvolvimento tecnológico do universo Cloverfield :)

Pode ser mortadela defumada da Sadia? Se sim, terá meu voto. kkkkkkkkkk

fez bem!!!

Não consegui assistir, parei nos primeiros 30 min.

Um filme inteiro, que podia ser resumido nos 10 seguindos que o picareta explica os eventos do primeiro filme. Nada mais. Há tempos eu não concordava com as criticas do omelete, mas dessa vez, aceito. Só daria 1 ovo ao invés de 2.

putz...a velha desculpa "não gostou porque não entendeu", pessoal não é criança não. O filme é ruim sim. A critica no geral ta detonando e convenhamos, falhas têm aos montes...

obrigado Vanilson!!

Acho que J. J. Abrams fez Star Trek como remake mesmo. Ai depois por dinheiro fez um remake ridiculo em Star Wars. Mas a franquia Cloverfield dele tem uma pegada interessante. Não vi ainda, mas acredito em boa parte do que vc escreveu. E realmente, criticos devem ser ignorados.

O filme eh otimo, a fisica eh sim coerente. Porra, o que temos hoje eh pura observacao do nosso universo. Das Leis que aqui funcionam. No proprio buraco negro nada eh como sabemos que eh aqui. A unica coisa que nao explicaram foram os monstros, mas aceitavel ja que existiu o contato com outros planetas.

Gostei , o filme é coerente com o cloverfield o monstro e com rua cloverdield 10 . A física abordada é fantasiosa mas coerente . Gostei do filme , muitas referências aos outros dois , é questão de estar ligado e se lembrar dos outros e juntar as peças se não acaba se perdendo e não gostando do filme porque não entendeu e aí ficam criticando .

Ou vocês querem coesão e uma história que faça sentido, ou vocês querem J. J. Abrahms. Se decidam...

O filme não é tão ruim assim. É um Interstelar com restrições orçamentárias. P.S.: O Omelete não viu que o astronauta médico era brasileiro?

Ideia boa. Execução nem tanto. Filme mediano para fraco.

Eu gostei do filme, não entendo todo esse ódio da critica. Ultimamente tem se usado bastante esse tema de multiverso como em star trek discovery, the flash e agora nesse filme. Como eu gosto do tema achei bem legal ainda maia por ter algumas sacadas com os outros filmes da franquia.

Será que só eu notei as varias referencias que ligam os 3 filmes? O hospital com que o caboclo está em contato é o mesmo que a guria do 2 vai prestar ajuda no final. O céu vermelho citado no dois, que eles dizemt er sido um ataque nuclear é a estação espacial bugando e indo pra um universo paralelo. Se prestarem atenção os 3 filmes passam quase que paralelamente ao mesmo tempo. E lembrem-se, esse ano votem certo, votem em mim! Quem tirar foto confirmando o voto e enviar para a sede do PT via ganhar 5kg de mortadela com qualidade Friboi e dois sacos de pão da dona benda.

Assisti sem ter visto os outros cloverfield, com os quais nem sabia que este filme era relacionado, pensei que fosse só alguma referência a alguma série de monstros/terror, como gostam tanto de referenciar hoje em dia. Como obra isolada, até que gostei. Claro, em menos de duas horas ficou faltando muita explicação que não caberiam nem em cinco horas, como explicar multiversos e implicações pessoais em pouco tempo? Pelo menos pra mim, que tenho alguma afinidade por sci-fi, o filme não tentou me levar pela mão, o que é bom, e foi interessante na medida certa pra passar o tempo.

Ué, o fato de ter uma legião de ignorante aqui não faz de mim o mesmo. E só um detalhezinho, eu já leio sobre física aplicada e teorias físicas sobre microcosmos e aplicação na teoria dos 9 universos a 10 anos. O único curioso a falar ou escrever bosta baseada em achismo aqui é vc e uma meia dúzia de acéfalos Está ai a listinha para as cavalgaduras lerem: "A Realidade Oculta", de Brian Greene O Universo. Teorias Sobre Sua Origem e Evolução de Roberto de Andrade Martins Livro o Sol Negro Mundos Paralelos de Michio Kaku é professor de física teórica na Universidade da Cidade de Nova York O Tecido do Cosmo de Greene,Brian E leia os trabalhos da professora Leila Lobato Graef, pesquisadora do Observatório Nacional. Se burro é um direito de qualquer um como é o seu. Agora diante de uma material farto deixado por mim, cabe a vc a oportunidade de deixar de comer capim ou continuar comendo, a escolha e sua para parar de falar tanta asneira

Ué, o fato de ter uma legião de ignorante aqui não faz de mim o mesmo. Está ai a listinha para as cavalgaduras lerem: "A Realidade Oculta", de Brian Greene O Universo. Teorias Sobre Sua Origem e Evolução de Roberto de Andrade Martins Livro o Sol Negro Mundos Paralelos de Michio Kaku é professor de física teórica na Universidade da Cidade de Nova York O Tecido do Cosmo de Greene,Brian E leia os trabalhos da professora Leila Lobato Graef, pesquisadora do Observatório Nacional. Se burro é um direito de qualquer um como é o seu. Agora diante de uma material farto deixado por mim, cabe a vc a oportunidade de deixar de comer capim ou continuar comendo, a escolha e sua para parar de falar tanta asneira

Ele usa a teoria das cordas e mecânica quântica como espantalhos para desqualificar qualquer opinião contrária sendo que o criticado é a obra e não suas teorias. Por isso 92% da população brasileira é considerada incapaz. https://educacao.uol.com.br/noticias/2016/02/29/no-brasil-apenas-8-escapam-do-analfabetismo-funcional.htm

Cara, você usa vários ad hominens e acusa aqueles que qualificam a obra como néscios. Pelo amor, todos os críticos quando analisam algo o fazem pela obra que nesse caso é o filme. O FILME foi analisado não a teoria das cordas, a mecânica quântica ou a dupla fenda. Foi o filme e sua forma de apresentar essas teorias que foram criticadas. É a mesma coisa você falar que quem não gosta de uma música o faz pelo desconhecimento do tema apresentado, sendo que é A OBRA que é julgada. Seu apelo a autoridade, ad hominens e espantalhos utilizados (já que alterou a ótica proposta que é o filme, não a mecânica quântica) revelam a incapacidade de aceitar uma opinião adversa acusando-a de inapetência.

Adorei o filme e estou ansioso para o próximo ! Coisa chata as pessoas ficarem afirmando que É RUIM ou É BOM, fica parecendo que quem gostou tem mau gosto. Fala GOSTEI ou NÃO GOSTEI, chega a ser ofensivo a maneira que alguns aqui falam do filme, como se quem gostou fosse burro, inferior, ignorante, etc

Wtf. Mano do céu, tente passar menos vergonha na internet, cara! Quem teve o desprazer aqui não foi você, fui eu. Aposto o que tu quiser como tu nunca leu um artigo científico completo, principalmente um que trate destes assuntos, não deve nem saber aonde buscar e pesquisar esse tipo de conteúdo. Deves ser só mais um que tomou uma ou outra semana pra pesquisar e assistir vídeos no YouTube e se acha Ô físico teórico. Dá pra se notar pela sua escrita que deve sofrer de dislexia ou algum tipo de analfabetismo funcional. Vou tornar mais simples dessa vez: O FILME É RUIM. foi feito de maneira rasa e POR ISSO É RUIM. Ignorante é quem pensa ser superior por ter "entendido" um filme RASO, SIMPLES E AUTO EXPLICATIVO como esse. Vá se tratar pois quem manda terceiros colocar armas na boca e puxar gatilhos precisa urgentemente de ajuda psicológica.

Eu vi as vídeo críticas amadoras igualo nível do seu texto e afirmo vc como alguns ñ entendeu. Pessoas que destrincharam o filme e der.notas baixas. Faça ne rir. Fale sobre a teoria dos 9 universos. Sabe alguma coisa sobre o assunto?? Ñ, pela justificativa que vc deu ñ sabe nara sobre. Pelo menos vc ja leu algo sobre a teoria buraco de minhoca?? Sem sabe essas duas bases vc e qualquer crítico deveriam ficar calados. A gente deve opinar aquilo que deveríamos ter o mínimo se conhecimento. Víum critico dizer que o filme ñ tinha interação entre os personagens ou seja. Ñ gostou do filme pq ñ entendeu e ai fez oq?? Inventou um.motivo. sobre Star trek, eu fui claro ao dizer que agora entendo o J.J ter feito um filme simples água com açucar pq algo.mais resbuscado e com conceitoscmais científicos o filme seria taxado de ruim. Cara, eu ja tive o desprazer de ouvir muitas pessoas ignorantes que disseram que acharam o Interestelar ruim. Na boa, mete uma arma na boca e puxa o gatilho pq vai que este nível de burrice é contagiosall

Entender ou não a teoria científica por trás do enredo de uma produção cinematográfica não faz com que alguém seja mais ou menos qualificado pra falar sobre o filme. Principalmente se esse alguém o analisa estruturalmente e tecnicamente, tendo formação ou vivência prática/teórica para isso. O filme tem um roteiro ruim, diálogos podres e não funciona como filme de terror ou aventura espacial. Compará-lo com Star Trek ao afirmar que quem gosta da série/filmes gostará dessa bomba é que é cômico. Colocar o "doutor" falando sobre o paradoxo e a possibilidade de junção de dimensões, tempo e espaço, não é facilitar o entendimento do filme, é fazer forçadamente com que o mesmo tenha alguma ligação com os outros dois filmes da série. Foi tão útil quanto as cenas na terra e a cena final. Entenda que esse filme não teve seu roteiro escrito do zero para ser o terceiro de uma antologia, muito pelo contrário, foi um roteiro recusado, guardado em alguma caixa, que foi encontrado e reaproveitado por JJ Abrams e sua equipe. Um tiro no escuro desses funciona uma vez (o segundo filme), mas dificilmente funcionará novamente. Se por algum acaso você não interpretou bem a crítica aqui do Omelete, corra atrás de vídeos no YouTube. Tem gente que destrinchou o filme completamente fazendo-o, inclusive, parecer melhor do que foi, e ainda assim deram notas baixíssimas para a obra. A teoria por trás do roteiro (ou que o roteiro faz uso pra justificar os eventos desse e dos dois primeiros filmes) pode ser legal, mas o filme é uma bela porcaria feita para justificar a continuidade do selo Cloverfield por anos sem existir a necessidade de coesão entre o(s) universo(s) apresentado(s) até então.

Rafael, a maioria das discussões no Redit já concorda com essa ideia. Inclusive há pistas de que o quarto filme vá se passar durante a segunda guerra mundial. Claro que em algum momento vai haver uma pequena ligação com os outros filmes. E nessa hora as pessoas vão reclamar de novo.

que os leigos se informem.. agora, desqualificar o filme pq a galera não entende é sacanagem... o filme é legal pra caramba..

são dimensões com tempo diferentes.. como se o presente, passado e futuro estivessem juntos coexistindo em dimensões diferentes...pois todos os eventos dos filmes 1, 2 e 3 são simultâneos no tempoespaço. Não sei se ficou claro. O incidente na nave pode, além de colidir dimensões, ter aberto fendas nas próprias dimensões, trazendo monstros de um tempo futuro. Tempo, espaço, dimensões e fendas no universo coexistindo ao mesmo tempo...entende? Viajado...rsrsrs

Também achei que o filme não é ruim. Acredito que muita gente que disse não ter gostado não entendeu o filme ou foi influenciado pelo "efeito manada" das primeiras críticas negativas.

AGORA COMEÇO A ENTENDO PQ J.J FEZ O STAR TREK MAIS ÁGUA COM AÇÚCAR DA HISTÓRIA CRIOU O CONCEITO DELE DE REALIDADE ALTERNATIVA! É algo assustador quando algo tão na cara se tornar algo tão difícil para alguns críticos. Eu assisti e recomendo pq não esperava sinceramente que J.J pudesse me surpreender e essa surpresa me trouxe um pouco de compreensão e entendimento. Para quem assiste Star trek e adora o tema paradoxo temporal e seus efeitos e os vários universos e não meramente como um filme de aventura como alguns, vai gostar e muito de Cloverfield Paradox que na minha opinião ele é melhor que o segundo. Li críticos falando sobre a falta de desenvolvimento de personagens?? O filme como este precisa do bom e velho conceito Star trek, se desenvolve personagens através do contexto e como interagem entre sim. Bem, Cloverfield Paradox falar sobre padoxo temporal e infelizmente nem todos tem a capacidade para entender isso em especial os "críticos hollywoodânus". Alguém aqui já leu sobre a teoria dos 9 universos?? O filme é claro e aborda a realidade alternativas de forma correta e isso me surpreendeu se tratando de J.J. Quando eles saem de uma realidade e vão para outra, as duas realidades travam uma batalha em que uma tenta consumir a outra. OBS: a cena da mulher com fios no corpo mostra de forma explicita e angustiante isso. E ainda teve gente que disse assim, "Ah, precisava daquela cena em que um professor aparecer na tv alertando sobre o que poderia acontecer ao usar a tecnologia que teoricamente seria uma nova fonte energia?" Mas é claro ué, olha a galera que assistiu ao filme e não entendeu sobre realidade diferentes. O filme é bom sim senhor e quem não entender assista novamente. Não é excelente, mas dizer que é ruim ou péssimo chega a ser cômico. Críticos um conselho, quando a gente não entende algo devemos sempre ver novamente.

Considero melhor que o segundo.

O braço eu achei fraco até pensar que pode não ser do mesmo dono. Ou melhor, pode ser do mesmo dono em uma realidade paralela. O corpo do braço que apareceu na nave pode estar sendo controlado por uma versão que sabe o que está acontecendo. O filme trara de monstros e paradoxos... fica difícil encontrar lógica ou respaldo científico.

Sai dessa vida, cara...

Você sacou a questão do entrelaçamento quântico. É o que explica o braço desaparecido, por exemplo. É um filme denso mesmo. Mas acho divertida a ideia de histórias individuais que deixam pistas entre os filmes para os expectadores montarem.

Cloverfield + Premonição + Alien - roteiros bons = Cloverfield Paradox.

Chega a ser uma imensa covardia (por isso se atenha só às circustâncias que são análogas nos dois filmes), mas vou ter que usar como exemplo "2001, uma Odisséia no Espaço". É cheio de situações estranhas e tão pouco explicáveis. Possui poucos diálogos, e as atuações que mais chamam a atenção são justamente quando não há pessoas interagindo entre si. E é provavelmente o maior filme de ficção científica da história do cinema. Claro, a ambientação do Kubrik é fenomenal, e o filme de forma alguma deixa a desejar. Mas boa parte das pessoas que se diz fã do filme só o considera assim porque assim foi convencionado. Vejo que uma situação análoga acontece com esse Cloverfield, mas ao contrário. 2001 mudou o cinema deixando situações que não levavam a lugar algum. A sua sequência, que explicava os fatos anteriores foi quase apedrajada pela crítica, porque quebrava a "mágica" do primeiro filme (reforço mais uma vez para não comparar literalmente a qualidade dos dois filmes, é convardia por 2001 na balança com outros filmes, apenas nas situações que são análogos).

Ah cara, isso já é mania de perseguição. Se um filme é ruim, é claro que vai receber críticas ruins. Nem vou discutir isso. E o público geral sequer vai ler crítica de um site nerd (isso se parar pra ler críticas) Em relação as atuações, realmente não dá pra generalizar. A atuação da principal foi boa, e de pelo menos mais um tb, mas da maioria não foi. A do irlandês foi sofrível. Mas os diálogos tb não ajudaram nessa parte, então fica difícil saber de quem foi a culpa. Vc não entendeu o q eu disse. Eu não critiquei o fato de ser uma antologia, critiquei justamente terem abandonado a idéia da antologia pra fazer uma conexão forçada (e fraca) entre os filmes. Eu havia amado a idéia de transformar cloverfield numa antologia (O segundo filme funcionou muito bem de forma isolada), mas não foi o que fizeram nesse. Mas independente disso tudo, as principais críticas são em relação ao filme em si. O roteiro foi fraco Não acho q seja filme para nicho, eu curto scifi, mas esse, além de genérico, não teve pé nem cabeça. Fizeram um bando de coisa sem lógica: olho que se mexe (e q faz a pessoa ouvir vozes?); parede q come braço; braço com funções cognitivas e motoras, pasta metálica que ignora o magnetismo para puxar e prender uma pessoa etc) E tudo isso com a desculpa do "não há regras". Pareceu um recurso fraco de roteiro pra fazer o que bem entender sem precisar de embasamento nenhum. Não teve nada de científico no filme. Exemplo de scifi bom é interestelar. Mostra coisas surpreendentes, mas tudo com embasamento científico Por isso que eu digo que o filme não funciona de forma separada (pq é ruim) e nem como parte da saga (pq além da explicação forçada, não condiz com a qualidade dos anteriores)

Gostei do filme, só achei "muito pesado" exige muita calma e conhecimento para que se entenda o filme, a ideia de universos paralelo, lapso temporal, entrelaçamento quântico relacionado com o surgimento de monstros e demônios, tudo junto em 1:42 minutos ficou difícil digerir, principalmente para quem for leigo no assunto.

Mas resumindo, acho que esse é um filme para Nicho. Eles fizeram bem em lançar na Netflix. Quem curte scifi vai gostar. O público geral já tem seus Vingadores, Transformers e material do tipo. Que essa pluraridade continue. Isso faz o mercado cinematográfico "respirar" .

É o mesmo efeito que aconteceu em Batman vs Superman. A "crítica" geral é uma sombra do que os primeiros sites começam a dizer. (se o omelete não tivesse defendido ele no Brasil, talvez não tivesse o sucesso enorme que teve aqui) Sobre a atuação, o que fez dela ruim? De todos os reviews que vi na internet essa é uma das únicas partes que todos concordam que foi boa. Me parece que vão surgindo justificativas porque o filme tem que ser ruim. Não estou dizendo que seja o melhor clássico de ficção de todos os tempos, mas que todos os sites precisam entrar no barco da mesma opinião. Faça o seguinte exercício lógico: -As pessoas estão criticando o fato de agora "virou" uma antalogia (O segundo filme já deixava isso claro), ou seja, não ser uma continuidade. Vi inúmeros comentários exatamente como o seu. -Em seguida dizem que ele não é um filme separado, pois faz conexões forçadas (Mas se já foi admitido que é uma antalogia, por que se criticar a falta de conexão do filme com os outros? Isso é ilógico). Quais seriam as soluções? Se reforçar o laço com os outros filmes, vira sequência direta, não antalogia. Se cortar todas as pequenas referências ao universo Cloverfield, vira um filme sci fi solo. Pronto, cheque mate para a crítica.

Lamentável que isso aconteça.

Eu também gostei do filme.

Ótimo filme recomendo!!!!

Cara, o omelete foi o último a postar crítica. O filme já estava sendo massacrado por todos muito antes disso, inclusive por sites populares como jovem nerd e cinepop. O filme é ruim, fazer o q... Decidiram fazer uma antologia ao anunciar Rua cloverfield 10, coisa q eu adorei, pq não acho q o primeiro precisasse de explicação ou continuação. Mas esse filme fugiu totalmente da proposta ao fazer uma conexão totalmente forçada com o primeiro filme, com uma explicação extremamente tosca e preguiçosa. Foi uma prequel do primeiro, até o trailer anunciou isso, de antologia não teve nada. A cena da entrevista foi uma das piores coisas do filme, simplesmente jogaram a explicação e conexão com o primeiro filme todinha ali de forma gratuita, com o cientista na tv convenientemente dizendo exatamente o que ia acontecer. No fim das contas, o filme não funciona como prequel e nem como ficção científica separada , pois o roteiro e as atuações são muito ruins. A venda pra netflix não foi a toa.

O pessoal só está reagindo à opinião do Omelete. Mesmo se você desconsiderar os outros filmes, este ainda é uma excelente ficção científica. O Omelete no Brasil é como o Rotthen tomatoes. A opinião deles influencia toda uma indústria. Eles acabaram de afundar um ótimo flme.

Cara, se você é fã de ficção científica, vai gostar bastante do filme. Ainda mais se for fã da série Cloverfield e conhecer o trabalho antológico dela. As críticas negativas exageradas são uma reação à opinião do Omelete. Você mesmo nem chegou a ver o filme e já está influenciado negativamente pela "opinião" geral. Desde o segundo filme, está claro que cada longa é uma história com gênero e temática completamente diferente. As conexões são poucas e servem apenas para se construir uma história maior na subtrama.

Por isso deveria ter sido o Érico Borgo a fazer a crítica. O cara saberia dialogar de fã pra fã.

Vigilante da Gota, o filme realmente deixa claro que cada história pode mesmo se passar em universos diferentes. Mas você se equivocou nessas conexões. O que cai no mar no primeiro filme não é o pod da tripulação, é um satélite. Outro argumento é o fato do monstro do terceiro filme ser dezenas (senão centenas) de vezes maior que o de 2008. E por fim, já foi confirmado que Leslie, a repórter que entrevista o Mark Stambler em OPC, é a mesma mulher que pede socorro no segundo filme da franquia (coincidentemente a Howard Stambler, provavelemnte parente do entrevistado). Isso significa que em questão temporal (e não dimensional) o terceiro e o segundo filme estão bem próximos. Não fica exatamente claro em qual ano o filme de 2008 está. Mas temporalmente, parece estar entre o segundo e o terceiro.

Me parece que desde o segundo da franquia já estava claro que era uma antalogia. Mas ela segue inserida dentro de um background maior, para que as pessoas tentem adivinhar a história por trás. Eu, pessoalmente achei genial. É como a time line dos jogos da Valve. Half Life, Portal e talvez até Left for dead são completamente diferentes, mas dentro de uma mesma história.

Caramba, será que só eu entendi a cinesérie dessa maneira? Cloverfield não é uma sequência concatenada de flmes. É uma ANTALOGIA. O que cada filme tem em comum é o fato de que no final ele irá dar pistas da invasão alienígena. É análogo a Black Mirror, em que cada episódio é uma história completamente diferente, mas todos dentro de um memo contexto (no caso, tecnologia e sociedade). Ao final, O Paradoxo Coverfield claramente dá pistas de que os filmes são em universos paralelos, justamente para não ter que fazer dos outros longas uma sequência retilínea. E como diabos se quer que a série seja revolucionária se ao mesmo tempo se clama para que ela se pareça com as outras do mercado? O Paradoxo Cloverfield acrescenta conexões aos outros filmes, mas não foge da proposta, que é contar uma história de ficção científica separada dentro de um fundo maior. É fato de que crítica leva opinião em conta, mas magoa saber que o flme vai ser derrubado. Vocês do Omelete são o Rotten brasileiro. Talvez não tenham consciciência disso, mas a opinião de vocês determina a aceitação do filme em território nacional. Essa crítica deveria ter sido feita pelo Érico. Ele é fã de ficção científica hard core e saberia transmitir as impressões dialogando com o nicho certo. OBS: A cena da entrevista com a repóter é a mais importante do filme, no contexto de "explicar" os antecessores. A mulher é a mesma que aparece em Rua Cloverfield 10, e o cientista entrevistado é parente do homem que nega que ela entre no abrigo também no segundo filme. Essa cena explica como Howard sabia da invasão e o motivo dele ter mandado construir o abrigo.

Vlw pedrao!! Vou dar esse confere amanhã mano!!

Eh coeso vc manipular um espécime trancado em um cofre com as mãos?

Vida: que filme ruim.

È melhor que o primeiro.

Penso o mesmo, amigo. A ideia seria bem melhor aproveitada em um curta-metragem ou por referências em filmes futuros da franquia.

Bah analogia interessante, mas os caras fizeram uma salada de fruta com tanta explicação. Tudo q os fãs queriam pode se resumir em cinco minutos de filme bem explicado, mas com uma história coesa.

Tem que ser tudo mastigadinho? O cientista diz no filme que tem fez um sobre as complicações da experiencia oras. Vai pedir pra montar o diploma do cara no filme também?

Não é preguiça, é imbecilidade e incompetência mesmo...

Pode cre, kkkkkk

A maldição do terceiro filme só atinge roteiristas e diretores preguiçosos.

Tbm gostei Edson, mas parece q somos minoria, infelizmente. Acho q esperavam algo explicadinho no estilo Nolan. Mas a explicação está lá, ela é bem rápida e já basta. Um filme diferente dos outros três mas q revela uma caixa dê pandora ao cubo...rs, o que da margem para muito mais coisa a ser criada. Imagine Cloverfield como um novo universo no estilo do oitentista "Além da Imaginação".

Eu cheguei a ver o primeiro há algum tempo, obiviamente não sou um fan de cloverfield, então resolvi ver todos em sequência e para ser sincero, não entendi nada. Depois de ver o terceiro eu cheguei a conclusão que Cloverfield se trata de um spinoff da familia addams. O primeiro vemos Gomez jovem, conquistador em um dia comum com um monstro qualquer causando problemas, o segundo o Tio fester com suas maluquices e o terceiro é um compilado.

O filme de 2008 se passa em 2008, o Paradox se passa em 2028. A idéia de múltiplos universos é explorada em todo o filme, dita explicitamente em vários momentos, e até mostrado numa tela (cena da nave Cloverfield caída no mar). Não faz sentido ser o mesmo universo, pois os ataques ocorrem em momentos diferentes do tempo. A origem dos ataques é o acidente com o Sheppard. Várias dimensões "colidem", juntando humanos, aliens e monstros (e demônios) em lugares e tempos diferentes.

Interessante, mas em que parte do filme explica a origem dos ataques e que os outros filmes são de universos diferentes? Não consegui pescar isso... estou perdidão

Obvio que sei disso né, essa "Maldição do Terceiro Filme" é um a lenda no cinema.

"Baseado em que pesquisa você tirou a conclusão de que ninguém pediu?" Eu poderia dizer que foi apenas uma expressão, mas deixo uma dica pra você: abre o Reddit. "E o que foi que explicaram nesse filme?" A origem dos ataques, o fato do filme de 2008 e do 10CL não estarem no mesmo universo, a justificativa pros próximos filmes, e por ai vai. Se decidiram que era uma antologia, não tinha porque conectar nada. Repito, extremamente desnecessário.

KKKKKK Sera que ja chegou na saraiva?

Baseado em que pesquisa você tirou a conclusão de que ninguém pediu? E o que foi que explicaram nesse filme?

Não existe essa maldição de terceiro filme (vide Senhor dos Anéis, Harry Potter, Mad Max...), existe é roteiro ruim e preguiçoso.

Há, so vale a pena nos 20 segundos finais de filme heheeheheh

Eu havia gostado da idéia de transformar cloverfield numa marca e fazer uma antologia, ainda mais pq parte de mim sempre achou que um dos encantos do primeiro filme era a gente saber exatamente o quanto os personagens vivendo aquilo sabiam, ou seja, nada. Adorei o segundo filme, mesmo não tendo nada a ver com o primeiro. Aì inventam de explicar o primeiro e fazem isso, um filme ruim, e com uma explicação rasa e forçada que ninguém queria

Não consegui ver tudo, achei horroroso esse filme.

A maldição do terceiro filme atingiu Cloverfied, o primeiro e o segundo foram ótimos.

Decidem fazer uma antologia, e aí fazem um filme pra explicar tudo, extremamente desnecessário. Não foi dessa vez, J.J. O acidente com o Sheppard ou a existência da estação Cloverfield funcionaria bem melhor se fosse uma referência rápida em algum dos filmes futuros. Teria deixado o mistério no ar pra rolarem teorias por cima, como sempre foi desde o primeiro filme. Não entendi porque quiseram dar respostas, ninguém pediu isso.

O filme deixa bem claro que existem infinitos universos e dimensões. O primeiro filme se passa em uma dimensão na qual o monstro viveu no fundo do mar por anos e "acordou" em 2008 com a queda do satelite, o segundo filme se passa em outra dimensão na qual os monstros são aliens que chegam na Terra. O terceiro filme apresenta duas dimensões diferentes, a da Hamilton, na qual os monstros invadem em 2028 (e são bem maiores do que o monstro de 2008, se você prestar atenção) e a outra dimensão na qual a nave Cloverfield caiu no mar (dimensão da loira que esqueci o nome). O acidente com o Sheppard alterou a realidade no tempo e no espaço. Ou seja, pode acontecer qualquer coisa, em qualquer lugar, em qualquer momento. Concordo que o filme é uma porcaria e extremamente desnecessário, mas as questões que você colocou fizeram sentido sim, mas só pra justificar a existência de outros filmes.

Não consegui assistir até o final... Depois que vi Open House estou traumatizado...

Eu gostei do filme. Vou assistir de novo pra ver se consigo entender pq tanta gente náo gostou.. Por mim nem precisa fazer ligação entre os filmes, apesar de que a "ligação" é mais um fan service do q qualquer outra coisa.

Eu achei péssimo o filme, chatice sem tamanho. Padrão Netflix de qualidade.

Eu gostei! Daria ao menos 3 ovos e um gema... hehheeh. Como gosto de ficção, achei boa a conexão entre os dois primeiros filmes.

Roteiro cheio de pontas soltas, uma idéia aqui e acolá que ficaram legais, mas que ainda assim tiveram seu desenvolvimento errado, como o "braço", e só. Muito fraco. Roteirista de 5º Categoria.

Me passa aí o link do livro dele então sabichão kkk donie darko tem isso mas o diretor fez todo um artigo na Internet mostrando as regras, me passa o do Cloverfield então kkk

Exatamente, ele explica sim os filmes anteriores, mas infelizmente para mim foi mais a falta de originalidade e a atuação que jogaram o Paradox rua a baixo.

Fraco muito fraco . Nada a ver, vc pensa que coliga com uma coisa. ....não dá nem outra. Filme pra se vê uma vez e só.

O filme só vale pelos segundos finais.

Aquilo é um satélite da Tagruato, não foi ignorado e é peça importante para a história do "vilão" do segundo filme. Provavelmente, caiu em decorrência de um choque com algum detrito da nave que foi parar naquela dimensão.

O filme é uma grande desculpa, uma justificativa para os próximos que virão. Tem relação direta com o primeiro e o segundo filme sim, estabelece possíveis novos direcionamentos pra franquia e explica basicamente tudo o que aconteceu no primeiro filme (deixando, é claro, pontas soltas para as próximas adaptações de roteiros do JJ Abrams e sua equipe).

Nossa...eu tô muito de cara...juro!!Só críticas negativas!! Tava esperando muito por esse filme e pensei q tivesse ligaçao direta com os outros dois e q explicasse tudo...etc. Putz...ainda nem ví...mas tô decepcionado desde então. Alguém por favor pode me ajudar?? Ia ver hj...mas nem coragem eu tive!! Só me falem...ou seja...tem ao menos alguma ligação com os outros filmes?? Ou só o nome Cloverfield?

Dois ovos é muito hein? Achei esse filme uma bela de uma polcaria, e olha que eu quase nunca falo isso de filme nenhum

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus