Dave Matthews Band - Come Tomorrow | Crítica

Compositor cria álbum maduro e romântico, com boa dose de nostalgia
 -

Após um hiato de 6 anos desde o último álbum, Dave Matthews e sua incrível banda voltam a produzir como se esse tempo nunca tivesse passado: a energia é a mesma de sempre, e Come Tomorrow chega completamente consciente da idade de seus envolvidos. O disco é um retrato da vida adulta, cheio de questionamentos comuns ao amadurecimento e com uma boa dose de nostalgia.

Mas não é uma nostalgia rasa e muito menos oportunista. Em nenhum momento Dave se mostra chateado por não ser mais o jovem ícone dos anos 90 que conquistou o mundo com "Crash Into Me" ou "Don't Drink The Water". Não, ele sabe que - mesmo sendo um ícone - a idade chega para todos e preferiu curtir o processo à lamentá-lo. Então o tipo de nostalgia que a gente ouve em Come Tomorrow é muito mais poética do que depressiva. Dave mostra sua visão de homem maduro com um respeito pelo passado que o trouxe até aqui e, principalmente, com um respeito por quem ele é hoje.

O que significa isso? Que você não vai ouvir mais tanta virtuose feita para impressionar - ela ainda está lá, mas muito mais porque a música pediu do que por outra razão - e não vai ouvi-lo gritar nem tentar impor uma visão polêmica sobre qualquer assunto. Come Tomorrow é um disco quase romântico (no bom sentido da palavra), onde a maior preocupação de Dave é falar sobre paternidade, felicidade no relacionamento, brincadeiras de criança e aflições com o planeta e com o futuro da humanidade.

Ou seja, temas de tiozão (com todo o respeito). E isso não é uma crítica. Na verdade, essa é a maior qualidade de Come Tomorrow: Dave não tenta passar pelo ridículo de fazer uma paródia de si próprio e traz toda sua bagagem (e de sua banda) para dar vida aos temas que lhe são prioridade agora. Ao soarem as primeiras notas de "Samurai Cop" você se pergunta se está mesmo ouvindo um álbum de Dave Matthews Band, mas quando você percebe que a letra fala sobre a criação de uma criança já fica clara a direção que a banda tomou. A musicalidade continua intacta e refinada, aqui com direito a guitarras aéreas e uma atmosfera quase poluída, mas que em nenhum momento se perde.

Dave mostra seu lado otimista na faixa título, contrapondo um senhor desolado com a situação atual do mundo e uma criança esperançosa mostrando como podemos salvá-lo amanhã. Mas em nenhum momento a coisa fica brega ou piegas. A música é densa e bonita ao mesmo tempo, realista e otimista sem ser ingênua. "When I'm Weary" também revela um lado sisudo que se dissolve com boas doses de amor: "You remind me to keep on trying", ele reflete quando se vê reclamando demais da vida.

Musicalmente, Come Tomorrow é super recheado de influências e ritmos de todos os estilos, como de costume: tem folk, jazz, funk, metaleira, batidas africanas e muito violão conduzindo tudo com um refinamento que muitas novas bandas poderiam imitar. "That Girl Is You" é um dos poucos momentos onde Dave parece voltar no tempo, cantando e vibrando com intensidade numa das faixas mais interessantes de todo o disco, cheia de falsetes e um riff matador.

"Virginia In The Rain" é um dos momentos de nostalgia, onde ele sente saudade de brincar de balanço e nadar no rio, coisas dos "velhos tempos" com um olhar de pureza e de melancolia, onde ele se vê adulto e tenta aconselhar os mais novos: "Don't grow up too fast".

Ou seja, viva sua vida e aproveite cada momento e cada oportunidade. Quando o amanhã chegar, são as boas lembranças que ficam. E a vida continua sendo boa para trazer mais memórias depois. Dave pode estar nostálgico, mas também está adorando o hoje, pois é dele que virão as boas memórias de amanhã. O nome do disco não poderia ser mesmo outro. Come Tomorrow é uma celebração.

Nota do crítico (Ótimo)
críticas de Música

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus